Ideias revolucionárias são aquelas mais simples, que surgem a partir do que temos disponível às mãos. O Leitura de Bolso, para mim, é uma ideia desse tipo. Fiquei sabendo dele hoje e já me cadastrei porque o argumento deles me convenceu – sempre me convence qualquer incentivo à leitura. Funciona assim: você cadastra o seu celular e passa a receber, pelo WhatsApp, mensagens com trechos curtos de livros – de até 5 minutos de leitura, como eles prometem. Genial!

E pronto! Não precisaram de muita tecnologia, não precisaram desenvolver absolutamente nada. E, com isso, puderam se concentrar no que realmente importa: a curadoria dos livros. Na semana passada eles prometeram para a próxima sexta, dia 30, um aplicativo para Android e iOS. Mas eu acho que nem precisava, sinceramente! Com o WhatsApp, que todo mundo usa (menos quando a Justiça brasileira corta o serviço por algumas longas horas), o objetivo deles é alcançado facilmente: leitura na mão das pessoas.

Para justificar o app, eles dizem que o WhatsApp ficou pequeno.

Leitura de Bolso vai virar app (Foto: divulgação)

Segundo o site do Leitura, em 2016 70% dos brasileiros disseram não ter lido nenhum livro (não citam fonte). Eles argumentam que a principal razão para isso é o volume: “As pessoas não leem por medo da quantidade das páginas dos livros“. Acho que é um argumento superficial, em um país que ainda não estimula a leitura desde cedo nas crianças. Mas há um fundo de verdade nisso, que as mensagens podem ajudar a resolver.

O mais legal de tudo é que a iniciativa, que podia ficar restrita a poucas pessoas, está dando muito certo. Segundo um post deles no Facebook, em que se desculpam pelo atraso no lançamento do app, que era previsto inicialmente para abril, eles esperavam “no máximo mil pessoas em um mês”, mas “de uma hora para outra” conseguiram a adesão de 30 mil inscritos. E o post é do começo de maio. Sucesso para eles e para a leitura!

Nesse mesmo post, o autor dele, identificado apenas como Paulo, confessa:

O Leitura de Bolso mudou as nossas vidas. E, por outro lado, a nossas vidas mudaram. Eu, Paulo, troquei de emprego e mudei de casa. A minha rotina mudou inteira. Vocês sabem como é, né? Agora, imagina o Julian, que acabou de ser papai de uma menina linda e está aproveitando todas as novidades que chegam com um bebê? E o Augusto, nosso fiel ajudante e agora também dono do projeto, está na sua caminhada para sua formatura.

Entendo a situação e vejo a paixão deles pelo projeto! Muito bacana. Pedi para eles uma entrevista para contar quem está por trás da ideia, mas ainda não responderam (quando entrarem em contato eu conto por aqui!)

Anúncios