O perfil no Instagram de Louise Delage, uma jovem francesa que publica belas imagens ao redor do mundo, virou uma febre. Lançada no começo de agosto, a conta tinha 65 mil seguidores em apenas um mês (hoje, já sem publicar nada, são mais de 107 mil). Os cerca de 150 fotos e vídeos – em piscinas, festas, viagens, com amigos, sozinha e até um nude – foram curtidos mais de 50 mil vezes em 2 meses.

Mas havia um detalhe: em quase todas, Louise aparecia com um copo, uma taça ou uma garrafa de alguma bebida alcóolica – fosse sutilmente, num canto, fosse como personagem principal da imagem. Mas Louise não é real. Trata-se de uma campanha da organização francesa Addict Aide criada pela agência BETC Paris.

Late #tbt si still #tbt 🇩🇪

A post shared by Louise Delage (@louise.delage) on

 

Em um vídeo publicado no perfil, encerrando a campanha “Like my addiction”, a entidade chama a atenção para o fato de que ninguém se deu conta do que estava de fato curtindo: “Será que os seguidores realmente perceberam o que curtiram?” Assista ao vídeo em inglês (o original é em francês):

A ideia é mostrar como o consumo em excesso de álcool é tolerado nas redes sociais. “É fácil ignorar o vício de uma pessoa querida”, sentencia o vídeo. “Achamos que uma forma interessante de mostrar (a dificuldade de detectar o vício em alguém próximo) seria criar um personagem que as pessoas vissem todo dia mas que não suspeitariam que tem uma dependência”, disse ao Adfreak o presidente e diretor criativo da BETC Paris, Stéphane Xiberras.

🍸 Cheerz 🍸

A post shared by Louise Delage (@louise.delage) on

 

A campanha – curta (cerca de 10 semanas) mas com sucesso nos números – virou tema de um texto no Entrepeneur sobre as lições que pode dar a respeito de marketing. Afinal, como fizeram para conseguir, tão rápido, tantos seguidores, tantos “likes”, tanto impacto? Vale a pena ler.

Anúncios