O tema está sendo tratado pela imprensa chilena como “vergonha nacional”. O torcedor chileno, entretanto, dá de ombros. Fato é que as torcidas são empolgadas e apaixonadas aqui no Chile – como são no Brasil. Ao passar dos limites com canções homofóbicas, xenófobas, racistas e com conteúdo político, os torcedores da “Roja”, como a seleção chilena é chamada carinhosamente, acabaram punidos sete vezes pela Fifa.

Na RFI Brasil eu comento sobre essa história no dia de um jogo decisivo para o Chile: a disputa contra o Peru pela 10ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2018, na Rússia. O jogo começa às 20h30 locais (mesmo horário de Brasília) e a bola vai rolar no estádio Nacional, uma oportunidade para os torcedores fazerem bonito com os visitantes.

E se na arquibancada os torcedores estão fazendo feio, no gramado a situação não é melhor. Com apenas 11 pontos, a “Roja” amarga uma 7ª posição na tabela, na frente apenas de Peru, Bolívia e Venezuela. Já corre o risco de ficar de fora da competição na Rússia. O Brasil está no alto da tabela, com 18 pontos, atrás apenas do Uruguai, líder com 19. Leia o texto e ouça o áudio no site da RFI Brasil.

Anúncios