Já falei aqui sobre o assunto, mas achei que valia a pena publicar esse mapa. Ele mostra a situação em sete cidades e países no que se refere à taxa de mortes em acidentes no trânsito a cada 100 mil habitantes. Cada cidade ou país adotou medidas para reduzir o número de mortos, como a redução da velocidade, tema que gerou polêmica em São Paulo depois que a Prefeitura decidiu baixar o limite nas marginais Pinheiros e Tietê.

Clique na imagem para ler.

Mortes no trânsito (fonte: Embarq Brasil)
Mortes no trânsito (fonte: Embarq Brasil)

O mapa faz parte de um amplo estudo da Embarq Brasil sobre acidentes de trânsito e impacto da redução da velocidade na diminuição de mortes. Os dados são da Organização Mundial da Saúde (WHO/World Health Organization), que publicou o estudo “Global Status Report on Road Safety 2013: Supporting a Decade of Action”.

O estudo revela que limites de velocidade em vias urbanas de 50 km/h ou inferiores já são adotados por 114 países ao redor do mundo. “Em áreas com grande movimentação de pedestres e ciclistas, tais como áreas residenciais e próximas a escolas e hospitais, muitos países adotam limites de velocidade ainda mais baixos. Algumas cidades já consideram a adoção de um limite geral de velocidade de 30 km/h em todas as suas vias, e não apenas em áreas especiais”.

Velocidades máxima na América Latina (fonte: Embarq Brasil)
Velocidades máxima na América Latina (fonte: Embarq Brasil)

Este segundo mapa mostra os limites de velocidade adotados pelos códigos de trânsito de diferentes países da América Latina para vias urbanas. Notem que o Brasil, país que ocupa a 4ª posição entre os que mais matam no trânsito, segundo a OMS, tem um dos maiores limites de velocidade, ao lado de México e Colômbia.

Clique no mapa para ampliar e ler.

Os dados também foram publicados no estudo da Embarq Brasil e são do OISEVI – Observatorio Iberoamericano de Seguridad Vial – Límites legales de velocidad.

Para baixar o estudo completo da Embarq Brasil, acesse.

Anúncios