“Não estou preocupado em formar jornalistas. Estou preocupado em formar seres humanos que possam se indignar com a realidade e com isso provocar mudanças. Sou um idealista e essa é minha utopia. Ser jornalista é toda uma conscientização do mundo. É ter um compromisso com seu tempo e sua gente. É buscar a reflexão do mundo e tentar dar a sua contribuição para melhorá-lo. No dia em que não acreditar mais nisso, abandono tudo e vou jogar dominó” — professor Dirceu Fernandes Lopes

Dirceu Fernandes Lopes

Conheci o Dirceu, grande professor dentro e fora da sala de aula, durante a Intercom 1997, na Universidade Católica de Santos, quando eu estava no primeiro ano de jornalismo. É, faz tempo. E faz tempo que não sei dele, mas fiquei feliz de ler essas palavras, tão parecidas com a minha forma de enxergar essa profissão.

Doutor em Jornalismo e professor na ECA, Dirceu é autor do livro “Jornalismo investigativo”, considerado uma referência para a prática de um jornalismo comprometido com a investigação e a independência. Ele também escreveu, em parceria com José Luiz Proença, “Edição em jornalismo eletrônico”, “A evolução do jornalismo em São Paulo” e “Edição em jornalismo impresso”. O portal Imprensa, que já ofereceu oficinas dele, o define assim: “ávido leitor de jornais, Dirceu cumprimenta a iniciativa daqueles que fazem do jornalismo uma tarefa não só informativa, mas também libertadora (da ignorância) e conscientizadora”.

Assista a um depoimento de 2011 do Dirceu, em que ele diz que o direito à liberdade de expressão, embora garantido pela Constituição, não é respeitado no Brasil “de forma alguma”:

A sugestão foi da Bruany Bianchi, estudante de jornalismo na Anhembi Morumbi que me entrevistou anteontem com a colega de faculdade e de trabalho (elas trabalham juntas na Letras & Lucros, editora especializada em educação financeira) Bruna Manzoli, sobre jornalismo internacional. O papo com elas, excelente e motivador, deve servir para o TCC que estão fazendo sobre o trabalho de correspondentes e da jornalista Sonia Bridi.

Foto: Reprodução/YouTube

Anúncios