A imagem é da excelente e divertida página no Facebook Moça, você é machista (que, por sua vez, a pegou emprestada do Tumblr Sexismo diário). Publiquei na minha timeline, também no Facebook, e fez bastante sucesso entre meus amigos. Será que é porque ninguém aguenta mais esse machismo travestido de gentilezas, de uma diferenciação exagerada* entre homens e mulheres? Será que é porque você – homem ou mulher – é machista e nem sabe? Está na hora de mudarmos nossas atitudes. Está na hora de cada um cuidar da sua bunda…

Meu comentário no Facebook para a foto: “Ah, essa sociedade pobre e burra que ensina seus filhos a ‘comer todas’ e suas filhas a ‘não dar para ninguém’…”

(Clique na imagem para ampliar)

*E quando falo em “diferenciação exagerada”, refiro-me ao abismo que a sociedade criou entre seres humanos mulheres e seres humanos homens. Ambos são diferentes, claro (e ainda bem), e precisam ser respeitados dentro dessas diferenças. Mas a diferença nunca pode ser usada como forma de valorizar um em prejuízo do outro. Nunca.

Existe uma distância gigantesca entre gentilezas e machismo. Um homem pode abrir a porta do carro para uma mulher – e isso é gentil. Mas uma mulher também pode abrir a porta do carro para um cara – e isso é nada além de normal. O machismo é achar que homens precisam abrir portas para mulheres. É não entender que isso deve ser um gesto, e não uma obrigação.

Atualização. Minha amiga Viviane Gomide publicou em seu delicioso blog Words of Leisure, uma tirinha: Por que preciso do feminismo? (abaixo). Tem alguns argumentos interessantes e importantes sobre o assunto, sem dúvida. Mas eu tendo a discordar que o feminismo seja a forma de combater abusos, preconceito e violência. Qualquer extremismo – e o feminismo é um – tende a polarizar a discussão em vez de resolvê-la. Eu prefiro dizer que sou anti-machista.

Anúncios