A história de Raphael Fortes Marcomini, pesquisador de 32 anos de São Carlos, cidade a 232 km de São Paulo, é uma história de superação de limites. No depoimento que ele me deu para a matéria “Um pedal de 4.000 km”, publicada hoje pela Folha de S.Paulo, ele mesmo disse: “Em alguns momentos durante o percurso, pensava que já tinha chegado longe o bastante, mas continuava só para ver o que aconteceria”.

E o que aconteceu? Ele percorreu mais de 60 cidades, cruzou vários Estados brasileiros e passou por Uruguai e Argentina. Viu paisagens de tirar o fôlego (paisagens que registrou e compartilhou em um Tumblr ao longo da viagem). Conheceu pessoas, aprendeu sobre lugares, descobriu nomes dos quais nunca tinha ouvido falar – e que eram apenas pontos perdidos em mapas.

A superação de Raphael não esteve nos 4 mil quilômetros que ele percorreu. Para a matéria, conversei com Argus Caruso, um sujeito que pedalou 35 mil quilômetros ao redor do mundo – 35 mil quilômetros! É dele a dica, que também está na matéria, entre várias outras (visíveis apenas na versão impressa): “A maior preparação tem de ser com a parte mental”.

Portanto, a superação de Raphael esteve em colocar o pé e as rodas da bicicleta reclinada no caminho (na foto, sua companheira pronta para partir) e deixar-se envolver pela viagem. “Ainda bem que não parei. Conheci lugares e pessoas que jamais imaginei conhecer. Senti-me pequeno diante das distâncias e das tempestades, me deliciei com o voo dos pássaros e com o cheiro da terra”.

Leia mais textos de Gabriel Toueg

Anúncios