Gerundismo é uma aberração. Não é só um erro. Não é apenas que soa mal. Não é só um vício de linguagem. É uma aberração, mesmo. Tanto que virou gozação em um comercial de cerveja, vocês viram?

Por isso, jornalista que se preza não usa gerundismo. Não diz que “vai estar fazendo”, “vai estar ligando”, “vai estar morrendo”. É claro que existem situações em que o gerúndio – e nunca o gerundismo – precisa ser usado, para expressar uma ação contínua. Então, por favor, esqueça o gerundismo. Para sempre.

Atualização: um colega jornalista dividiu comigo, no Facebook, um link no qual o linguista e professor na Unicamp Sírio Possenti defende o uso do gerundismo. Discordo bastante da argumentação dele, mas como não sou autoridade no assunto deixo aqui também sua análise: “Vamos estar considerando sobre o gerundismo”, no site da UFSCar. Que os leitores tirem suas conclusões!

Você vai estar comentando?  Ou vai estar compartilhando?

Anúncios