Nuzman e o presidente de Israel, Shimon Peres (divulgação)A assessoria de imprensa do Comitê Olímpico Brasileiro, o COB, disse que a visita do presidente da entidade, Carlos Arthur Nuzman, seria feita em caráter pessoal, particular, nas férias dele. Mas Nuzman veio ao país ciceroneado por uma equipe do Ministério de Relações Exteriores daqui, que montou uma agenda para que ele se encontrasse com o presidente israelense, Shimon Peres (na foto), com ministros e com executivos daqui.

Os israelenses estão de olho no mercado que surge com os eventos esportivos no Brasil, especialmente Rio 2016, pelo qual o COB é responsável.

A jornada dos jornalistas começou cedo. Fui o primeiro a chegar à residência oficial de Peres, em Jerusalém, dois minutos antes das 8h da manhã. O evento começaria apenas às 9h, mas os jornalistas precisam passar por uma demorada revista. E eu ainda fugi do pesado trânsito de Tel Aviv na manhã de quintas-feiras. Cheguei cedo, tive tempo para ver a beleza da arquitetura da casa oficial e as estátuas de todos os… 8 presidentes israelenses.

Do Terra“Há campo para trabalho conjunto”, diz presidente do COB em Israel (Gabriel Toueg, Terra Notícias, Esportes, 11nov2010)

Depois do corrido photo-op no encontro entre Nuzman e Peres, precisei ficar para esperar uma declaração deles, no final. Peres não falou aos jornalistas, mas Nuzman, que veio com a mulher, a jornalista Márcia Peltier, falou. De lá, a correria para Tel Aviv, onde a delegação brasileira se encontraria com o ministro de Indústria, Comércio e Trabalho de Israel, Benjamin (Fuad) Ben-Eliezer. Fui no carro da embaixadora do Brasil em Tel Aviv, em uma agradável conversa.

De lá, correria para o hotel Dan, também em Tel Aviv, para escrever a matéria com o que tinha ouvido até então. Perdi o encontro com a Limor Livnat, ministra de Esportes, mas acabei conversando com ela no final do dia, porque ela representou o governo israelense na bonita festa de independência de Angola, comemorada em outro hotel de Tel Aviv. No mesmo Dan Nuzman fez uma emocionante – mas longa – exposição, com vídeos que mostram o Rio sem favelas, sobre Rio 2016.

Último evento do dia, antes da festa de Angola, seria a visita de Nuzman à sede do Comitê Olímpico de Israel. Cheguei 40 segundos antes da delegação, depois de caminhar por mais de vinte minutos até o local. Depois das apresentações e das fotos, e de Nuzman contar pela oitava vez no dia (diferentes plateias, mesmo discurso) que já jogou quatro vezes em Israel, pelas Macabíadas, um passeio pelo belo – e também emocionante – museu erguido no local.

Angola
A festa comemorou os 35 anos desde a independência de Angola. Como eu estou envolvido com um projeto em Angola, fui convidado pela Embaixada. E fui com o Nahum Sirotsky, que conhece cada um dos diplomatas e funcionários da representação angolana em Tel Aviv. A festa foi animada, com uma bonita apresentação de dança típica de Angola.

Anúncios