Resolvi telefonar, agora à noite, para a correspondente do SBT e da RFI no Líbano. Ela começou a corresponder para a RFI por conta da crise atual e eu acho isso ótimo, porque balanceia a cobertura – ela de lá, eu de cá.

É uma catarinense com um sotaque delicioso. Mas eu senti na voz dela a tensão normal para quem está no Líbano e, de repente, recebe uma ligação de Israel. Ela me disse, apressada para desligar, que teria problemas se a ligação fosse rastreada.

Desligamos logo e fiquei pensando, ao mandar um email para ela (emails ainda são seguros), que deve ser realmente uma aventura estar lá em Beirute cobrindo essa guerra. Lá, imagino eu, se sentem mais intensamente os efeitos.

[LEIA TAMBÉM!] Está na grande rede a última edição inteirinha da Revista 18, com a minha matéria sobre o Negev. Para ler, aqui. Estou na página 14. Mas a revista merece ser lida de cabo a rabo! A próxima já está no forno… Inaugurei coluna, que deve ser semanal, no BlueBus, a primeira está aqui. E tem texto novo meu, de um só parágrafo, aqui.

Anúncios